quinta-feira, 30 de abril de 2009


"Que o acaso de nosso encontro e

de hoje estarmos juntos, seja a certeza de que talvez

não tenha sido por acaso que cruzamos nossos olhares e

que colhi em seus lábios o sabor da ternura."

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Hoje!


De hoje em diante todos os dias ao acordar, direi:
Eu hoje vou ser Feliz!
Vou lembrar de agradecer ao sol, pelo seu calor e luminosidade.
Sentirei que estou vivendo, respirando.
Posso desfrutar de todos os recursos da natureza gratuitamente.
Não preciso comprar o canto dos pássaros, nem o murmúrio das ondas do mar.
Lembrarei de sentir a beleza das árvores, das flores, e a suavidade da brisa da tarde.
Vou sorrir mais, sempre que puder.
Vou cultivar mais amizades e neutralizar as inimizades.
Não vou julgar os atos dos meus semelhantes ou companheiros, vou aprimorar os meus.
Lembrarei de ligar para alguém para dizer que estou com saudades!
Reservarei minutos de silêncio, para ter a oportunidade de ouvir.
Não vou lamentar nem amargar as injustiças,
vou pensar no que posso fazer para diminuir seus efeitos.
Terei sempre em mente que um minuto passado, não volta mais.
Vou viver todos os minutos proveitosamente.
Não vou sofrer por antecipação prevendo futuros incertos,
nem com atraso, lembrando de coisas sobre as quais não tenho mais ação.
Não vou pensar no que não tenho e que gostaria de ter,
mas em como posso ser feliz com o que possuo,
e o maior bem que possuo é a própria vida.
Vou lembrar de ler uma poesia e de ouvir uma canção,
Vou dedicá-las a alguém.
Vou fazer alguma coisa para alguém, sem esperar nada em troca,
apenas pelo prazer de ver alguém sorrir.
Vou lembrar que existe alguém que me quer bem.
Vou dedicar uns minutos de pensamento para os que já se foram,
para que saibam que serão sempre uma doce lembrança,
até que venhamos a nos encontrar outra vez.
Vou procurar dar um pouco de alegria para alguém,
especialmente quando sentir que a tristeza e o desânimo querem se aproximar.
E quando a noite chegar, vou olhar para o céu, para as estrelas e para o luar e
agradecer aos Anjos e a Deus, porque
Hoje Eu fui Feliz!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Teu beijo

Tua boca... Sim... Tua boca...
O desejo tomou conta de mim ao beijar tua boca...
Sim... Os meus lábios ainda pressentem o próximo toque dos teus...
Encostei teus lábios nos meus, as bocas se juntaram...
E se encontraram tão belas... Tão ansiosas... Tão ávidas...
Bebi aí todo o teu veneno...
Bebi aí todo o teu desejo... Lindo desejo...
Deixei algo de mim no teu beijo que não recupero jamais!

A arte de ser feliz


Houve um tempo em que minha janela se abria

sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.

Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.

Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,

e o jardim parecia morto.

Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,

e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.

Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.

E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que

caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.

Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.

Outras vezes encontro nuvens espessas.

Avisto crianças que vão para a escola.

Pardais que pulam pelo muro.

Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.

Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar.

Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.

Ás vezes, um galo canta.

Às vezes, um avião passa.

Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.

E eu me sinto completamente feliz.

Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,

que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem,

outros que só existem diante das minhas janelas, e outros,

finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.


Autor: Cecília Meireles

Aprender


Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas.
E começa aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa – por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a ultima vez que as vejamos. Aprende que as circunstancias e os ambientes tem influencia sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, e se você não sabe pra onde está indo, qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão dedicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes, as pessoas que você espera que o chute quando você cai, e uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que e se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você suponha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando esta com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não te ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com o tudo que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoa-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida !

Autor: William Shakespeare

domingo, 26 de abril de 2009

Vida


Eu aprendi a nunca dizer não a uma boa oportunidade que aparecer em minha frente, pois todas as experiências são válidas, mesmo trazendo sofrimento e certas perdas. Aprendi que os ambientes mudam sim as pessoas, pois fui capaz de fazer coisas que nunca faria. Aprendi que nunca devo julgar alguém sem estar em sua pele, pois ninguém é totalmente mau nem totalmente bom, e todas as atitudes sempre têm uma razão para serem tomadas. E aprendi que sempre devo ouvir antes de julgar, pois sempre existem dois lados.
Não tenho arrependimentos, pois as más experiências são as que nos ensinam a não repeti-las. Que eu nunca vou me conhecer totalmente, pois o ser humano está em constante mudança.
A família é a base que me sustenta e me conforta e é com eles que eu posso contar para qualquer coisa. E que não importa em quantos lugares você esteve e quão bons esses lugares eram, nenhum lugar é melhor do que o que você chama de lar.
Aprendi que tentar esquecer alguém com outro alguém é bem inteligente, porém, não é eficaz... E que pessoas não são substituíveis, mas os papéis que elas preenchem em nossas vidas são. Existem finais felizes e outros nem tão felizes assim, mas há sempre uma nova chance de recomeçar. E aprendi que nem todos merecem a nossa confiança quanto parecem merecer e só quem pode te fazer perceber isso é o tempo. Que o que os outros falam importa sim, e que isso sempre vai te incomodar, por que não importa quão bom você seja eles sempre acharão um defeito. Por isso tente ao máximo possível não se importar.
Eu vi que saudade é o sentimento que mais traz sofrimento e que muita gente que diz que sente, não faz idéia do que realmente a saudade seja. É! Eu senti saudade. Aprendi que tentar não se apegar a alguém por medo de perder no futuro é burrice, eu poderia ter perdido a oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas. Conheci pessoas por alguns dias e irei lembrá-las pra sempre. Pra falar a verdade conheci todos os tipos de pessoas: relaxados, loucos, dramáticos, inocentes, os que fingem ser inocentes, extrovertidos, revoltados, fresquinhos, os nem aí pra nada, sensíveis, chatos, hiper-ativos, os sonsos, os engraçados, os estranhos, os amigos, os nem tanto, os malvados, os carinhosos, os apaixonantes, os não-apaixonantes e, no fim, eu acabei me tornando uma mistura de todos eles.
Confie em quem não desiste de você, Desista de quem te faz mal, e ame quem te dá valor, quem retribui seu amor e lembre-se: Toda regra tem sua exceção, menos a regra que diz que homem não presta. Que o melhor amor chama-se amor próprio e que quando você se amar o suficiente ai então poderá amar alguém!
Chorei, pois chorar é o melhor remédio quando se precisa colocar pra fora o que machuca por dentro. E aprendi que existem várias maneiras de ser feliz e que pra descobrir qual é a melhor você tem que viver o máximo de maneira que você puder. É! Eu vivi. Tive a mente aberta para mudanças por que elas puderam me levar a lugares que eu nunca estive, às vezes elas são ruins, mas no fim você sempre vai se dar conta de que foi melhor assim e que você não se arrepende de nada. A grande mudança pode está apenas no seu jeito de ver as coisas.
Eu vivi por inteiro, me entreguei por inteiro. Eu viajei em todas as estradas e fiz muito mais do que isso, eu fiz o que tinha pra fazer, vi tudo que tinha pra ver, sem exceção. Eu amei, sorri e chorei, tive minhas falhas, certas horas pensei em desistir, ir embora mas acabei descobrindo em mim uma pessoa forte. Eu provei o sabor de cada comida, sentei em todos os lados da mesa, abri todas as portas e esqueci de trancá-las, provei de tudo.
Dormi no quarto, dormi na sala, dormi no carro ou simplesmente não dormi. Senti o cheiro de cada lugar novo e me impressionei como podem existir tantos cheiros e tantos lugares. E tantas pessoas também, e como elas podem ser tão iguais e diferentes de mim.

Por tudo isso que eu já vivi, posso dizer que minha vida vale muito a pena!

Apresentando

Nyandra Karla, prazer!

19 anos, universitária, sonhadora, apaixonada pela vida e pelas pessoas.
Criei esse blog para contar histórias de vida. Histórias minhas, histórias de outrem... Histórias simples ou complicadas... Ou história nenhuma...

Por que...
Enquanto Amor...

Sejam bem vindos!